C.Vale

Notícias

11/05/2016 | Maior precisão, melhores resultados

Produtores usam tecnologia para potencializar ganhos e reduzir custos

Aumentar a produtividade e racionalizar o uso de insumos é o sonho de todo agricultor. Transformar esse sonho em resultados práticos é possível desde que se use a estratégia correta. Associados da C.Vale estão apostando na agricultura de precisão para concretizar esse desejo. Kougi Takahasi aproveitou o serviço oferecido pela cooperativa para dar início à estratégia de otimizar o desempenho das lavouras de soja e milho em Terra Roxa (PR). Ele cultiva 92 hectares no interior do município, no oeste do estado, onde colheu 56 sacas/hectare de soja na safra 2015/2016. A produtividade do milho safrinha, no ano passado, chegou a 153 sacas/hectare. "O seu Kougi é bastante tecnificado, está sempre entre os que mais produzem", elogia o agrônomo Tiago Paslauski.

O bom desempenho não deixa o produtor acomodado. Ele acredita que é possível elevar ainda mais a produtividade e contratou o serviço de agricultura de precisão da C.Vale para fazer o mapeamento da lavoura. Kougi Takahasi até já definiu metas para as duas culturas. Ele quer chegar a 70 sacas/hectare de soja e a 165 sacas/hectare de milho. "Acho que dá prá economizar com fertilizantes e produzir mais", resume o associado.

A estratégia também está sendo seguida pelo associado João Mattoso, que cultiva mil hectares de soja e milho em Aral Moreira (MS). Em busca de maior produtividade, em meados do ano passado, ele solicitou os serviços de agricultura de precisão da cooperativa. Foram mapeados 710 hectares da propriedade. Na safra 2015/16, prejudicada pelo excesso de chuvas, Mattoso colheu 48,5 sacas/hectare. Para os próximos anos, com o auxílio da agricultura de precisão ele quer chegar a 60 sacas/hectare.

Takahasi e o agrônomo Tiago Pauslauski: foco em resultados

Mapeamento do solo

O serviço de agricultura de precisão é um mapeamento da lavoura para identificar detalhadamente as condições químicas do solo. "Se a fertilidade do solo estiver adequada e ainda houver baixas produtividades, entra em ação a vistoria de campo pelos consultores agronômicos C.Vale para verificar quais outros fatores estão atrapalhando o desempenho. Podem ser compactação do solo, nematoides, sementes não certificadas, falhas de manejo, pragas, doenças e erosão de solos, entre outros", explica Rafhael Crema, responsável pela agricultura de precisão da C.Vale.

Amostras de solo são coletadas por quadriciclos equipados com brocas especiais e GPS (Sistema de Posicionamento Global). Em seguida, elas são encaminhadas a um laboratório para análise e, posteriormente, os técnicos da cooperativa geram mapas onde constam as recomendações sobre distribuição de insumos de acordo com as necessidades do solo. Com os dados, o produtor pode solicitar o serviço de distribuição dos fertilizantes com taxa variável.

Crema afirma que "caro na agricultura nem sempre são os insumos, mas a baixa produtividade". Ele diz que a meta da cooperativa é auxiliar os associados a alcançar a média de 100 sacas de soja por hectare. Para isso, a C.Vale está qualificando a equipe de agrônomos. Muitos deles já fizeram pós-graduação em fertilidade do solo e nutrição de plantas.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS Mais notícias
C.Vale

C.Vale – Cooperativa Agroindustrial
Av. Independência, 2347 | Palotina – PR
CEP: 85950-000 | Tel: 55 (44) 3649-8181

blz.com.br